18/07/2016: Estadão - Prêmio Reverência homenageia o talento de Marília Pêra

Entre as estrelas que primeiro encenaram no Teatro Alfa em 1998, ano de sua inauguração, se destacava Marília Pêra, que ali viveu Geni, de Toda Nudez Será Castigada. Marília morreu em dezembro do ano passado, mas parte de seu precioso talento será relembrada nesta terça-feira, 19, durante a cerimônia de entrega do 2.º Prêmio Reverência, dedicado ao teatro musical do Rio e São Paulo. 
“Marília sempre foi uma inspiração para todos que, de alguma forma, trabalham com musicais”, comenta a produtora Antonia Prado, criadora do prêmio em parceria com Rodrigo Rivellino, da AktuellMix, e uma das grandes incentivadoras do gênero no Brasil. “Como homenageada do ano, ela será lembrada por alguns de seus grande números.” 
Assim, a grande estrela começará a ser lembrada com Letícia Colin vivendo um momento de Como Vencer na Vida Sem Fazer Força, encenado por Marília em 1964. Em seguida, será a vez de Laila Garin exibir seu talento em Roda Vida, marcante peça montada em 1968, quando a ditadura militar já exibia suas garras.
Depois, será o momento de Totia Meireles mostrar que é uma das damas do musical brasileiro ao se divertir com um número de Pippin, o musical eternizado por Bob Fosse que Marília interpretou em 1974. Totia será também a apresentadora da cerimônia ao lado de Daniel Boaventura, que ainda vai relembrar outro grande momento de Marília: o musical Vitor ou Victoria, encenado em 2001.

Finalmente, o instante que promete muita emoção: Sandra Pêra, irmã de Marília, cantando e dançando em Hello, Dolly!, último musical da inesquecível atriz, montado em 2013.
A cerimônia promete ser luxuosa – 60 atores e 15 músicos estão convocados para a apresentação desses números especiais e também dos espetáculos finalistas. Nesta segunda edição, o Reverência contou com a participação de 35 produções inscritas, número expressivo em um ano marcado pela crise econômica. Dessas, 12 musicais dividem as indicações das 15 categorias (espetáculo, autor, direção, ator, atriz, ator coadjuvante, atriz coadjuvante, cenografia, figurino, iluminação, coreografia, especial, direção musical, design de som e voto popular).
Urinal, o Musical e Kiss me, Kate – O Beijo da Megera largam na frente e concorrem em quase todas as categorias, com 14 e 13 indicações, respectivamente.
Em seguida, aparecem Gonzagão – A Lenda (nove indicações), O Beijo no Asfalto (seis), Bilac Vê Estrelas e Chaplin, O Musical empatados em três categorias, além de Nuvem de Lágrimas, Mudança de Hábito e Ou Tudo Ou Nada com duas indicações cada um. Simbora – A História de Wilson Simonal e Bodas de Fígaro também foram lembrados.
“A ideia do Reverência é dar mais visibilidade ao gênero e garantir a sua perpetuação e seu crescimento. Precisamos unir forças e, por isso, é tão importante envolver Rio e São Paulo”, diz Antonia.
A novidade deste ano é que a cerimônia será gravada pelo canal Bis, que vai exibi-la no dia 1.º de agosto.

0 comentários: