Musical americano estreia no Rio contando a história da stripper Gypsy Rose Lee

Quem passar em frente ao Teatro Villa-Lobos hoje à noite pode até achar que a Broadway mudou de lugar. É a estreia da peça ‘Gypsy’, um dos musicais mais badalados do circuito norte-americano, que ganha sua primeira montagem no Brasil, assinada pela onipresente dupla de diretores Charles Möeller e Claudio Botelho.
Estrelado por Totia Meireles, como Mama Rose, e Adriana Garambone, na pele da stripper Gypsy Rose Lee (1911–1969), o espetáculo narra a trajetória da artista performática, que foi parar no show business por insistência da mãe, que sempre desejou estar nos palcos. “Ela é monstruosa, tenta fazer das filhas o que sempre quis”, descreve Totia, que diz ter mais prazer em encarnar personagens reais.
Na primeira fase, em que Gypsy — que ainda usa o verdadeiro nome, Louise — vaga pelo interior dos EUA com irmã June (Renata Ricci), em pequenas apresentações, forçadas pela mãe, as duas são interpretadas pelo elenco infantil, que se reveza. Enquanto tenta emplacar as filhas como estrelas, Mama Rose conhece Herbie (Eduardo Galvão), que se torna seu empresário e capacho amoroso.
Antes vista pela mãe como sem talento, Gypsy cresce e deslancha em performances de strip-tease. Preparando-se desde o ano passado, quando vivia a Maura, da novela ‘Poder Paralelo’, Adriana Garambone diz que a jornada dupla valeu a pena: “Tenho capacidade de transformação. Às vezes, me vejo no espelho e não me reconheço”. Além de 38 atores e 17 músicos, a superprodução conta ainda com 140 figurinos e 18 cenários, construidos em pouco mais de um mês, com 13 toneladas de madeira e duas de ferro.

0 comentários: