“Aída retrata a mulher mundial”



Você interpreta um tipo bastante atual de mulher: trabalhadora, mãe e divorciada. Facilita encarar um papel mais humanizado?
Acho que a Aída retrata a mulher mundial. Atualmente, é difícil segurar um casamento. As mulheres “seguram a barra” mesmo sem perder a esportiva. Não sei se é mais fácil ou mais difícil, mas é mais gostoso porque há uma identificação maior do público.

Em 20 anos de carreira na TV, você nunca fez uma protagonista. Em algum momento sentiu falta disso?
Não. Protagonista tem de trabalhar muito. Claro que eu jamais falaria “não”, mas não é algo que eu corra atrás. Acho muito pesado.

Planos para o futuro?
Depois da novela, em janeiro, vou entrar em cartaz com o musical “Gipsy”, da Broadway.

Entrevista Rapidinha
Totia Meirelles
Idade: 50 anos
local de nascimento: Cuiabá (MT)
Algumas novelas: “Que Rei sou eu?”, “Lua Cheia de Amor”, “Suave Veneno”, “O Clone”, “América”, “Duas Caras”, entre outras.

Fonte: http://www.otempo.com.br/supernoticia/noticias/?IdNoticia=31553

0 comentários: