14/06/2018: Globo Teatro - Totia Meireles e Felipe de Carolis estão no elenco do musical 'Pippin'

    Quando o elenco de Pippin se encontrou, na tarde de ensaios, com exceção da produção, quase ninguém sabia os nomes que estavam na lista. Guardados a “sete chaves”, Felipe de Carolis (Pippin), Totia Meireles (Mestre de Cerimônias), Nicette Bruno (Bertha), Guilherme Logullo (Lewis), Cris Pompeo (Catharina), Adriana Garambone (Fastrada) e Luis Felipe Mello (Theo) estão na nova montagem da dupla Möeller e Botelho para o clássico musical da Broadway.
   Originalmente escrito por Stephen Schwartz e dirigido por Bob Fosse, "Pippin" estreou em 1972 e apresenta a fábula do filho mais velho do rei Carlos Magno (que será interpretado por Jonas Bloch) envolto na premissa básica do autoconhecimento humano. Acumulando cinco Tony Awards na chegada, o espetáculo ganhou diversas remontagens pelo mundo. Por aqui, a versão assinada pelo (até então iniciante) Flávio Rangel, e com nomes como Marco Nanini e Marília Pêra no elenco principal, inaugurou o Teatro Adolpho Bloch (Rio de Janeiro) no inverno de 74. 

   Totia Meireles, na época com 15 anos, nem imaginava ser atriz e saiu impressionada com as luvas brancas dos garçons no foyer do teatro e com o primeiro musical que assistiu na vida: “Lembro do Nanini sentado num banco, antes de ir para a guerra, errando propositalmente a coreografia assim (faz movimentos com as mãos e as pernas) e eu rolava de rir”, relembra a atriz que vai dar vida à Mestre de Cerimônias, papel que rendeu o Tony Awards de melhor atriz em musical a Patina Miller, na remontagem da companhia American Repertory Theatre, em 2013.

12/06/2018: Jornal Estadão - Cultuado, musical 'Pippin' ganha nova versão que estreia no Rio

    A persistência é uma das principais características que rodeiam o musical Pippin, que estreia no dia 2 de agosto, no Rio. Afinal, desde 2015, os diretores e produtores Charles Möeller e Claudio Botelho detêm os direitos internacionais desse que é considerado o Hamlet dos musicais, graças à sua sofisticação cênica e às várias camadas interpretativas oferecidas por seu libreto. “Não conseguíamos o patrocínio necessário na época, mas não desistíamos”, conta Möeller que, desde a semana passada, ensaia um poderoso elenco de 18 artistas, encabeçados por Felipe De Carolis, Totia Meireles, Nicette Bruno, Adriana Garambone e Jonas Bloch, que viverá Carlos Magno.
    Justamente Carlos Magno é o rei cujo filho Pippin (De Carolis) vive em busca do autoconhecimento e do verdadeiro sentido da vida. Sua trajetória é narrada por uma trupe comandada por uma MC, mestre de cerimônias (Totia), que leva o rapaz até uma guerra, na intenção de se tornar herói. Frustrado com honraria, Pippin vai até sua avó Berthe (Nicette), exilada pela segunda mulher do rei, Fastrada (Adriana), em busca de sabedoria e recebe o conselho de aproveitar ao máximo sua juventude.   
     “O primeiro ato termina com Pippin decidido a fazer uma revolução contra o próprio pai”, explica Möeller, sempre fascinado com o texto escrito e musicado por Stephen Schwartz e que, na estreia na Broadway em 1972, contou com a direção e coreografia de Bob Fosse. “O que me fascina, além das canções, é uma profundidade disfarçada em uma trama que, aparentemente, é lúdica e circense. Trata-se do mais revolucionário musical contemporâneo.”
     Möeller, que sempre faz minuciosas pesquisas antes de iniciar o trabalho de direção, observa que Pippin quebra parâmetros. “Schwartz vinha da criação de Godspell e, quando Fosse entrou no projeto, o musical ganhou camadas mais darks. Afinal, o protagonista é alguém com dúvidas, como qualquer pessoa da plateia, e, além disso, Pippin não tem qualquer apreço pelo ‘american dream’”, afirma o diretor. “Na verdade, ao ser coroado rei, ele passa a agir como o pai. Aliás, Pippin é profundo, com camadas agridoces: os revoltosos só querem o poder, sem se preocupar com mudanças.”
    Um dos mais revolucionários encenadores de todos os tempos, Bob Fosse incluiu detalhes ainda hoje assombrosos para um musical, como um trio que dança inspirado em Charles Manson, líder de uma seita que assassinou a atriz Sharon Tate em 1969 ou ainda ao criar um número que ressalta a libido da vovó Berthe. “Há muito cinismo, que deixa o musical ainda atual”, diz Möeller, rindo ao lembrar de uma frase muito repetida na peça: “Fora, Carlos!”. “Está no original.”
Elenco
Felipe de Carolis - Pippin
Totia Meireles - M.C.
Adriana Garambone - Fastrada
Jonas Bloch - Carlos Magno
Cristiana Pompeo - Catharina
Luiz Felipe Mello - Theo
Nicette Bruno - Berthe
Guilherme Logullo - Lewis
Analu Pimenta  Trupe
Bel Lima - Trupe
Rodrigo Cirne - Trupe
Sérgio Dalcin - Trupe
João Felipe Saldanha - Trupe
Bruninha Rocha - Trupe
Victoria Aguilera - Trupe
Jessica Amendola - Trupe
Daniel Lack - Trupe
Paulo Vitor - Trupe
Flavio Rocha - Trupe

07/06/2018: Totia Meireles e elenco participam da pré-estreia do filme "Talvez uma história de amor"

    O filme  Talvez Uma História de Amor teve première no Village Mall, na Barra da Tijuca, na Zona Oeste carioca na noite de ontem (06).
   Parte do elenco, como Thaila Ayala, Nathalia Dill, Elisa Lucinha, Totia Meireles, Mateus Solano, Marco Luque,Claudia Alencar estiveram presentes 
      O filme destaca a história de Virgílio (Mateus Solano), que se vê separado de Clara (Thaila Ayala) após uma ligação telefônica.
Fonte: O Fuxico

07/06/2018: Peça ‘’Vou deixar de ser feliz por medo de ficar triste?" recebe artistas na sessão Vip no Teatro das Artes

      ‘’Ó abre alas que eu quero passar….’’ Foi assim que a história de amor entre Daniel e Andrea começou a abrir passagem pelo palco do Teatro das Artes, no Shopping da Gávea, durante a sessão de ‘’Vou deixar de ser feliz por medo de ficar triste?’’ dedicada especialmente à classe artística nesta segunda-feira, 5. Entre os convidados, que recebiam na entrada um programa em formato de coração e um brigadeiro a fim de mergulharem no clima de romance do espetáculo, estavam Caetano VelosoLilia CabralGuilhermina GuinleMiguel ThiréTotia Meireles e Marcos Caruso
    Da esquerda para a direita: Mylena Ceribelli, Vitor Thiré, Jujuba Cantador, Jorge Farjalla, Totia Meireles, Paula Burlamaqui, Yuri Ribeiro e Lilia Cabral posam após fim do espetáculo. (Foto: Reginaldo Teixeira)
Fontes: Site Heloísa Tolipan e Galeria Lu Larcerda